» » Monitoramento da Vacina Contra a Febre Amarela no interior do município de Chiapetta

Monitoramento da Vacina Contra a Febre Amarela no interior do município de Chiapetta

postado em: Saúde | 0

Neste mês de julho, as Equipes da Saúde da Família juntamente com o Programa de Imunizações estão realizando o Monitoramento no interior do município, com o objetivo de verificar nas cadernetas de vacinas quem já realizou a vacina contra a Febre Amarela. A ação se trata de uma estratégia da Secretaria da Saúde do Estado do RS, devido à reintrodução do vírus amarílico no Estado e necessária devido ao número de casos notificados no Brasil, totalizando 82 confirmados, sendo que um desses veio a óbito, no Estado de SC.

A coordenadora de Imunização, Cristiane Maçalai, explica que o monitoramento está sendo realizado pelos Agentes Comunitários de Saúde, acompanhados por uma vacinadora. Durante as visitas, as cadernetas de vacinação dos integrantes das famílias são verificadas e, caso não tenham recebido ainda as doses, é feita a administração da vacina.

A vacina da Febre amarela é contraindicada para crianças abaixo de 9 meses.

A vacinação contra febre amarela contra indica a doação de sangue por 4 semanas

Quem não pode fazer a vacina da Febre Amarela:

-Pacientes em uso atual de quimioterapia;

-Pacientes com radioterapia em curso;

-Doenças Hematológicas com insuficiência (aplasia de medula/anemia aplásica);

-Pacientes em uso de corticoide isoladamente oral/venoso:

*Crianças em uso de Prednisona ou equivalente em posologia maior ou igual a 2mg/dia para crianças até 10kg por mais de 14 dias;

*Adultos em uso de Prednisona ou equivalente em posologia maior ou igual 20 mg/dia por mais de 14 dias;

ATENÇÃO: Após interrupção do corticoide nas doses descritas aguardar 4 semanas para administração da vacina.

ADIAMENTO:

-Gestantes;

-Lactentes após 6 meses da amamentação;

-Doença febril;

AVALIAÇÃO MÉDICA:

– Pessoas acima de 60 anos de idade, sem registro da vacina ou que nunca foram vacinadas, devem passar por avaliação médica para ver o risco/benefício em realizar a vacina, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos pós – vacinação.

Sintomas da Febre Amarela:

Início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores no corpo em geral, náuseas e vomito, fadiga e fraqueza, febre alta, icterícia e hemorragia.

Transmissão

febre amarela ocorre nas Américas do Sul e Central, além de em alguns países da África e é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres. Sua manifestação é idêntica em ambos os casos de transmissão, pois o vírus e a evolução clínica são os mesmos — a diferença está apenas nos transmissores. No ciclo silvestre, em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus e do gênero Sabethes. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue), podendo o Aedes albopictus também transmitir os vírus. O macaco não transmite a doença para os humanos, assim como uma pessoa não transmite a doença para outra. A transmissão se dá somente pelo mosquito. Os macacos ajudam a identificar as regiões onde estão acontecendo a circulação do vírus. Com estes dados, o governo distribui estrategicamente as vacinas no território nacional.