» » 3ª Mostra Agropecuária: Emater/ASCAR apresenta alfafa como alternativa para frear queda do número de produtores de leite

3ª Mostra Agropecuária: Emater/ASCAR apresenta alfafa como alternativa para frear queda do número de produtores de leite

A preocupação com a queda do número de produtores de leite na região Celeiro do RS teve reflexo na programação da 3ª Mostra Agropecuária de Chiapetta, realizada de 12 a 14/04, na Estância de Rodeios do CTG Relembrando Tio Lautério. Na sexta-feira, primeiro dia da Mostra, ocorreu um seminário, durante o qual a alfafa foi apresentada como alternativa à trajetória de desvalorização da atividade leiteira. “Temos debatido sobre as dificuldades no setor leiteiro, temos de buscar eficiência no negócio, reduzir custos”, disse o prefeito Eder Both.

Nos últimos cinco anos, 83 famílias desistiram de produzir leite em Chiapetta, o que fez com que o número de produtores do município caísse pela metade, de acordo com dados da Emater/RS-Ascar.

Alfafa

Quando utilizada da maneira correta, a alfafa, segundo especialistas, pode diminuir custos e fazer o equilíbrio na dieta dos animais. “Quanto mais digestivo for um alimento e mais fermentação ruminal ele tiver, mais a vaca vai transformar essa fibra em leite e a alfafa nos trás muito isto, a gente consegue tirar muito leite com uma fibra de muito boa qualidade”, disse o médico veterinário, Lucas Dal Forno. “Por ser uma leguminosa, ela tem um potencial proteico alto que também ajuda na produção de leite”, concluiu Dal Forno.

Desde o começo de abril, a Emater/RS-Ascar faz testes com feno de alfafa na dieta do plantel de 24 vacas do agricultor Benjamin Gallina. “A alfafa está corrigindo o vazio forrageiro”, analisou, com base em dados preliminares, o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Dhonatã Rigo.

O mercado tem se mostrado receptivo. O produtor Maurício Nicoletti Schäfer planta, em Chiapetta, 26 hectares de alfafa da variedade crioula, dos quais oito são irrigados. “A rentabilidade é muito boa”, garante Schäfer. Ele comercializa a produção na forma de feno pré-secado. No entanto, uma pequena parte é reservada para alimentar as carpas que o produtor mantém no açude.

Sobre o manejo de plantas invasoras, considerado uma grande dificuldade na produção de alfafa, Schäfer não demonstra preocupação. “Eu coloquei herbicida para manter a produção limpa”, disse ele.

Outro problema, do qual se queixam alguns produtores, a dificuldade para encontrar semente à venda, também parece estar sendo resolvido aos poucos. Atualmente é possível encontrar sementes à venda nas cidades de Ijuí, São Luiz Gonzaga e Roque Gonzales.

Cenário
Nos últimos dois anos, houve queda de 32% no número de famílias produtoras de leite no âmbito dos 21 municípios da Associação dos Municípios da Região Celeiro (Amuceleiro). Os dados são de um relatório, produzido recentemente pela Emater/RS-Ascar. “Em 2017, haviam 5.533 propriedades rurais vendendo leite, em 2019, temos 3.862 propriedades”, informou o gerente regional da Emater/RS-Ascar de Ijuí e coordenador do estudo, Carlos Turra.

Ainda de acordo com o estudo apresentado por Turra, a maioria das famílias que produzem leite são da agricultura familiar. Na média, a área destinada à produção de leite na pequena propriedade rural não passa de 15 hectares.

 

Fonte:Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Ijuí