» » Programa de inclusão de alimentos da Agricultura Familiar na cesta básica dos Servidores completa 1 ano

Programa de inclusão de alimentos da Agricultura Familiar na cesta básica dos Servidores completa 1 ano

No último dia 12 de agosto, o projeto de Inclusão de Alimentos da Agricultura Familiar na cesta básica dos Servidores Públicos Municipais através do Programa de Aquisição de Alimentos Municipal (PAA) completou um ano de execução. A proposta promovida pela Administração Municipal juntamente com a Secretaria Municipal da Agricultura e EMATER/ASCAR, adquire dos agricultores cerca de 30% dos alimentos na forma de produtos orgânicos e agroecológicos.

Cumprindo a Lei Municipal Nº 245/2001, que prevê a cesta básica mensal de até 30 kg de alimentos, se pensou desde o início de 2017, uma forma de entregar alimentos advindos da agricultura familiar, qualificando ainda mais a cesta dos servidores. Foi assim que surgiu a proposta da compra dos produtos, a qual entrou em vigor no segundo semestre de 2017. Entre as metas, alcançar o total de 10 kg de produtos orgânicos por cesta básica, ou seja, 3 toneladas mensais. Objetivo alcançado ao longo dos meses.

Durante período, segundo levantamento do setor de compras e licitações, além da compra de produtos como farinhas, arroz, açúcar, feijão, azeite e sal do comércio local, foram adquiridos dos agricultores familiares do município em torno de 36 toneladas de produtos. Ao todo, foram investidos R$119.323,75 para a compra de alimentos da agricultura familiar. Do Programa de Aquisição de Alimentos Municipal participam seis agricultores familiares do município. Nesse primeiro ano, eles entregaram 15 itens produzidos em suas propriedades. Entre elas: Massa caseira, bolacha, cuca, alface, rúcula, beterraba, rabanete, mandioca, repolho, tomate, moranga, batata doce, cenoura, agrião e ovos.

Desde o início da implantação do projeto, a família Klipstein tem entregado todos os meses os produtos produzidos na propriedade. Entre eles, mandioca, cenoura, tomate, batata doce e moranga. Conforme relato da produtora de hortigranjeiros, Terezinha Kliptein, a iniciativa traz mais renda ao agricultor já que é ótima oportunidade de venda dos produtos e faz com que “ao final do mês a gente possa fazer nosso compromisso, porque sabemos que vai entrar o dinheirinho certo pra pagar”. A família só tem a agradecer o incentivo dado pelo poder público. Terezinha conta que o programa também tem incentivado os jovens a permanecer no campo produzindo. Exemplo disso é o seu filho. O jovem Leandro Klipstein, a partir do crescimento das vendas e o incentivo recebido por programas de apoio a agricultura familiar apostou na estruturação de uma agroindústria de mandioca, a qual permitirá a legalização e expansão do negócio.

Na avaliação do Prefeito Municipal, Eder Luis Both, a iniciativa tem dado muito certo e veio para ficar. Satisfeito com os resultados do programa, Eder acredita ser uma política pública onde todos ganham. “Ganha o município que desenvolve uma política em favor dos agricultores familiares. Ganham os pequenos agricultores do município que produzem esses alimentos e conseguem ter uma garantia de mercado para uma boa quantidade da sua produção e, por fim, os servidores públicos que recebem um alimento saudável e de qualidade. Além do mais, estamos contribuindo para desenvolver a cultura do consumo de produtos orgânicos desde as crianças até os mais velhos”, destaca.

Além da compra dos produtos da agricultura familiar para compor a cesta básica, o município através da vinda de um caminhão baú, tem realizado roteiro para a arrecadação dos alimentos produzidos pelos agricultores. A iniciativa tem reduzido os custos com o transporte dos produtos, já que muitas vezes os agricultores precisavam, devido a grande demanda, fazer várias viagens ou pagar frete para trazer os produtos no local de entrega das cestas.

Com objetivo de aumentar ainda mais a venda de produtos orgânicos e agroecológicos, o município estuda a criação de uma associação dos agricultores para que se possam buscar mercados em outras cidades, além da venda por meio de editais de órgãos públicos.